LIÇÃO 188 do Livro de Exercícios de “Um Curso em Milagres” (UCEM)




LIÇÃO 188

A paz de Deus está brilhando em mim agora.



1. Por que esperar pelo Céu? Aqueles que buscam a luz estão apenas cobrindo seus olhos. A luz está neles agora. A iluminação é apenas um reconhecimento e não uma mudança em absoluto. A luz não é desse mundo, mas tu, que és portador da luz, também és um estranho aqui. A luz veio contigo do lar onde nasceste e ficou contigo porque é tua. É a única coisa que trazes contigo Daquele Que é a tua Fonte. Ela brilha em ti porque ilumina o teu lar e te conduz de volta ao lugar de onde ela veio e onde tu estás em casa.

2. Essa luz não pode ser perdida. Por que esperar para achá-la no futuro ou acreditar que já foi perdida ou que nunca esteve presente? Ela é tão facilmente contemplada que os argumentos que provam que ela não está presente tornam-se ridículos. Quem pode negar a presença do que contempla em si mesmo? Não é difícil olhar para dentro, pois é lá que começa toda visão. Não se vê nada, seja em sonhos ou a partir de uma Fonte mais verdadeira, que não seja apenas a sombra do que é visto através da visão interior. É lá que a percepção começa, e lá chega ao fim. Ela não tem outra fonte senão essa.

3. A paz de Deus está brilhando em ti agora e do teu coração se estende ao mundo todo. Ela para para acariciar cada coisa viva e deixa uma bênção que permanece para todo o sempre. Aquilo que ela dá tem que ser eterno. Remove todos os pensamentos do que é efêmero e sem valor. Traz a renovação a todos os corações cansados e, ao passar, ilumina toda a visão. Todas as suas dádivas são dadas a todos e todos se unem para agradecer a ti, que dás e a ti, que recebes.

4. O brilho em tua mente lembra ao mundo aquilo que ele esqueceu, e o mundo restaura a memória a ti também. De ti, a salvação se irradia, com dádivas incomensuráveis, dadas e retribuídas. O Próprio Deus agradece a ti, que és o doador da dádiva. E, com a Sua bênção, a luz em ti brilha mais intensamente, somando-se às dádivas que tens para oferecer ao mundo.

5. A paz de Deus nunca pode ser contida. Aquele que a reconhece dentro de si mesmo tem que dá-la. E os meios para dá-la estão em sua própria compreensão. Ele perdoa porque reconheceu a verdade em si. A paz de Deus está brilhando em ti agora e em todas as coisas vivas. Na quietude, ela é reconhecida universalmente. Pois o que a tua visão interna contempla é a tua percepção do universo.

6. Senta-te quieto e fecha os olhos. A luz dentro de ti é suficiente. Só ela tem o poder de te dar a dádiva da vista. Exclui o mundo exterior e deixa que os teus pensamentos voem para a paz interna. Eles conhecem o caminho. Pois pensamentos honestos, intocados pelo sonho das coisas do mundo exterior a ti, tornam-se os santos mensageiros do Próprio Deus.

7. Esses pensamentos, tu pensas com Ele. Eles reconhecem a sua própria casa. E apontam com segurança para a sua Fonte, Onde Deus Pai e o Filho são um. A paz de Deus está brilhando sobre eles, mas eles têm que permanecer contigo também, pois nasceram dentro da tua mente, assim como a tua mente nasceu na de Deus. Eles te levam de volta à paz, de onde vieram, apenas para lembrar-te de como tens que retornar.

8. Eles atendem à Voz do teu Pai quando te recusas a escutar. E eles te incitam gentilmente a aceitar o Seu Verbo quanto ao que tu és ao invés de fantasias e sombras. Eles te lembram de que és o cocriador de todas as coisas que vivem. Pois assim como a paz de Deus está brilhando em ti, tem que brilhar sobre elas.

9. Hoje praticamos aproximar-nos da luz em nós. Tomamos os nossos pensamentos dispersos e os trazemos gentilmente de volta ao lugar em que se alinham com todos os pensamentos que compartilhamos com Deus. Não os deixaremos extraviarem-se. Deixamos a luz dentro de nossas mentes orientá-los para que voltem para casa. Nós os traímos, ordenando-lhes que se afastassem de nós. Mas agora nós os chamamos de volta e os limpamos de estranhos desejos e de anseios desordenados. Nós lhes restauramos a santidade da herança que receberam.

10. Assim as nossas mentes são restauradas com eles e reconhecemos que a paz de Deus ainda brilha em nós e a partir de nós brilha sobre todas as coisas vivas que compartilham a nossa vida. Nós as perdoaremos todas, absolvendo o mundo inteiro pelo que pensamos que ele fez conosco. Pois somos nós que fazemos o mundo tal como o queremos. Agora, escolhemos que ele seja inocente, isento de pecado e aberto à salvação. E depositamos a nossa bênção salvadora sobre ele, ao dizermos:

A paz de Deus está brilhando em mim agora. Que todas as coisas brilhem sobre mim nesta paz, e que eu as abençoe com a luz que há em mim.


Assista abaixo a gravação da leitura feita pela Paulinha Oliveira ou ouça em nosso perfil no Spotify:




Se algo vibrar forte aí em