LIÇÃO 155 do Livro de Exercícios de “Um Curso em Milagres” (UCEM)




LIÇÃO 155

Recuarei e permitirei que Ele me mostre o caminho.



1. Há uma maneira de viver no mundo que não está aqui, embora pareça estar. Tu não mudas de aparência, embora sorrias mais frequentemente. A tua fronte é serena, os teus olhos tranquilos. E aqueles que caminham pelo mundo como tu, te reconhecem como um deles. No entanto, aqueles que ainda não perceberam o caminho também te reconhecerão e acreditarão que és igual a eles, como eras antes.

2. O mundo é uma ilusão. Aqueles que escolhem vir aqui estão em busca de um lugar onde possam ser ilusões e evitar a sua própria realidade. Todavia, quando descobrem que a sua própria realidade está até mesmo aqui, recuam e permitem que ela mostre o caminho. Que outra escolha têm a fazer realmente? Deixar que ilusões caminhem diante da verdade é loucura. Mas deixar a ilusão submergir atrás da verdade e deixar a verdade se erguer à sua frente tal como é, é meramente sanidade.

3. Essa é a escolha simples que fazemos hoje. A louca ilusão ainda permanecerá em evidência por algum tempo para que seja contemplada por aqueles que escolhem vir e que ainda não se regozijaram ao descobrir que estavam equivocados na sua escolha. Eles não podem aprender diretamente da verdade, pois negaram que seja assim. Por isso precisam de um Professor Que perceba a sua loucura, mas Aquele que ainda assim possa olhar além da ilusão para a simples verdade que há neles.

4. Se a verdade exigisse que desistissem do mundo, pareceria a eles que estaria pedindo o sacrifício de algo que é real. Muitos escolheram renunciar ao mundo enquanto ainda acreditavam na sua realidade. E sofreram uma sensação de perda e consequentemente não se liberaram. Outros não escolheram nada além do mundo e sofreram com um sentimento de perda ainda mais profundo, que não entenderam.

5. Entre esses dois rumos há ainda uma outra estrada que conduz para longe de qualquer tipo de perda, pois tanto o sacrifício quanto a privação são rapidamente deixados para trás. Esse é o caminho designado para ti agora. Andas por esse caminho como os outros e também não pareces ser distinto deles, embora de fato o sejas. Assim podes servi-los enquanto serves a ti mesmo e podes guiar os seus passos no caminho que Deus abriu para ti e para eles através de ti.

6. A ilusão ainda parece se apegar a ti, para que possas alcançá-los. Mas ela recuou. E não é de ilusões que eles te ouvem falar e nem é ilusão o que trazes para que os seus olhos contemplem e suas mentes apreendam. A verdade, que anda na tua frente, tampouco pode lhes falar através de ilusões, pois agora a estrada conduz para o que está depois das ilusões e, ao longo do caminho, tu os chamas para que possam seguir-te.

7. No final, todas as estradas conduzem a essa. Pois o sacrifício e a privação são rotas que não levam a lugar nenhum, escolhas de derrota e objetivos que permanecerão impossíveis. Tudo isso recua quando a verdade vem à tona em ti, para conduzires os teus irmãos para longe dos caminhos da morte, colocando-os no caminho da felicidade. O seu sofrimento não passa de ilusão. Todavia, precisam de um guia para conduzi-los para fora disso, pois tomam a ilusão equivocadamente pela verdade.

8. Tal é o chamado da salvação e nada mais. Pede que aceites a verdade e deixes que ela vá diante de ti, iluminando a rota do resgate da ilusão. Não é um resgate que tenha preço. Não há nenhum custo, apenas ganho. A ilusão só pode parecer manter o Filho santo de Deus acorrentado. Ele é salvo apenas de ilusões. Quando elas recuam, ele se encontra novamente.

9. Caminha com segurança agora, mas com cuidado, pois essa rota é nova para ti. E poderás achar que ainda és tentado a andar na frente da verdade e a deixar as ilusões serem o teu guia. Os teus irmãos santos te foram dados para seguir-te em teus passos, à medida que caminhas com certeza de propósito até a verdade. Ela vai diante de ti agora para que possam ver algo com que possam identificar-se, algo que compreendam para conduzi-los no caminho.

10. Entretanto, no final da jornada não haverá nenhuma brecha, nenhuma distância entre tu e a verdade. E todas as ilusões que andavam no caminho por onde viajavas também se afastarão de ti e não sobrará nada para manter a verdade à parte da completeza de Deus, tão santa quanto Ele. Recua com fé e deixa a verdade te mostrar o caminho. Não sabes aonde vais. Mas Aquele Que sabe vai contigo. Deixa-O conduzir-te junto com os outros.

11. Quando os sonhos chegarem ao fim, o tempo tiver fechado a porta sobre todas as coisas que passam e os milagres tiverem deixado de ter um propósito, o Filho santo de Deus não fará mais jornadas. Não haverá nenhum desejo de ser uma ilusão ao invés da verdade. E estamos nos encaminhando para isso à medida que progredimos ao longo do caminho que a verdade nos indica. Essa é nossa jornada final, que fazemos por todos. É necessário que não percamos o nosso caminho. Pois assim como a verdade vai diante de nós, ela também vai na frente de nossos irmãos que nos seguirão.

12. Caminhamos para Deus. Faze uma pausa e reflete sobre isso. Poderia outro caminho ser mais santo ou mais digno do teu esforço, do teu amor e de toda a tua intenção? Que caminho poderia te dar mais do que tudo ou oferecer menos e ainda contentar o Filho santo de Deus? Caminhamos para Deus. A verdade que caminha diante de nós agora é una com Ele e nos conduz para onde Ele sempre esteve. Que caminho senão esse poderia ser uma rota que tu escolherias?

13. Os teus pés estão plantados com segurança na estrada que conduz o mundo a Deus. Não procures caminhos que pareçam conduzir-te a outro lugar. Sonhos não são guias dignos de ti, que és o Filho de Deus. Não esqueças que Ele colocou a Sua Mão na tua e te deu os teus irmãos em confiança, pois tu és digno da Sua confiança em ti. Ele não pode ser enganado. A Sua confiança fez com que a rota pela qual caminhas seja certa e a tua meta segura. Não falharás para com os teus irmãos nem para com o teu Ser.

14. E agora Ele pede apenas que penses Nele por um momento a cada dia, para que Ele possa te falar e te contar do Seu Amor, lembrando-te de quão grande é a Sua confiança em ti, quão ilimitado o Seu Amor. Em teu Nome e no Seu Próprio, que são o mesmo, nós praticamos com contentamento este pensamento no dia de hoje:

Recuarei e permitirei que Ele me mostre o caminho, pois quero caminhar ao longo da estrada que conduz a